As Missivas - O Livro dos Meus Dias

Missivas: cartas, epístolas ou, simplesmente, bilhetes que são enviados a alguém.

Minha foto
Nome:
Local: Brazil

"Um poeta é sempre irmão do vento e da água: deixa seu ritmo por onde passa." Cecília Meireles

.............................................O Ritmo do Homem no Compasso de Deus........................................

10.5.09

Maternidade

A maternidade talvez seja a mais pura semelhança entre a criatura humana e o Criador Divino. Isso porque, penso eu, da maternidade evocam-se atributos ou funções totalmente divinas.
Das mães recebemos o sopro de vida, e por elas conseguimos vislumbrar os primeiros raios de luz. As mães percorrem verdadeiros desertos, enfrentam verdadeiras batalhas em nove meses, que nós filhos não conseguimos compreender em sua totalidade. Talvez as mulheres não compreendam a dimensão que existe no fato de carregar uma vida dentro de si. Todavia, agem com muita naturalidade quando fertilizadas e se de fato não compreendiam tal dimensão passam a vivê-la intensamente de forma que livros ou palavras não podem lhes dar a sabedoria que adquirem. É como se naquele instante brotasse um instinto de sabedoria e caridade, nunca vividos antes.
Das mães recebemos as primeiras e mais valiosas lições sobre a vida. A dependência que temos de nossas mães ao amanhecer da vida é, sem dúvida, pela ignorância que temos sobre as coisas mais simples e fundamentais. Por isso somos tão curiosos e apegados nelas, pois nelas encontramos discernimento e aprendemos a engatinhar, a andar e a correr por entre os montes.
Das mães vivenciamos o amor, o carinho e o perdão. Magoamos nossas mães em muitos momentos. Quebramos objetos de valor sentimental como xícaras, perdemos seus brincos, sujamos suas roupas, mas nem por isso deixam de pôr-nos em primeiro lugar. Nem por isso deixam de nos olhar como se tivéssemos feito algo de bom e sensacional. E quem disse que tudo o que fazemos não é considerado motivos de orgulho para elas?
Das mães enxergamos a poderosa força de Deus. As batalhas que elas enfrentam não terminaram ao final da gravidez. Pelo contrário, com o passar do tempo as rugas e cabelos brancos vão aparecendo cada vez mais. Não por estarem envelhecendo, mas por estarem vencendo batalhas que deixam marcas. Me pergunto de onde vem a força que tais mulheres possuem para não perder uma batalha sequer pelo bem de suas crias.
Das mães aprendemos o que é felicidade. Que é felicidade, senão sentir-se realizado? E a realização de uma mãe está na realização de um filho. É, portanto, um sentimento desprendido, nada egoísta. O filho está sempre em primeiro lugar. A felicidade está, pois na felicidade de outro. Isso me parece um mandamento divino. Não posso deixar de acreditar que a mãe que consegue alcançar a felicidade de seu filho, se sinta igualmente feliz. Não posso, então, acreditar que as mãe que vivem tal atributo intensamente não cheguem ao Céu.
Nós homens, infelizmente, não podemos ser mãe e vivenciar tudo que estas mulheres podem viver. Pelo menos, podemos ser filhos.

Marcadores: , , ,

4 Comments:

Blogger Joana said...

Nossa Dinho,mostrou pra sua mãe?Acho q vou copiar e dar p minha mãe e dizer qfui eu..traduziu bem a maternidade na visão de filho!Ser mãe é realmente uma dádiva Divina!

11:02 PM  
Blogger Gizelle said...

" Das mães enxergamos a poderosa força de Deus. As batalhas que elas enfrentam não terminaram ao final da gravidez. Pelo contrário, com o passar do tempo as rugas e cabelos brancos vão aparecendo cada vez mais. Não por estarem envelhecendo, mas por estarem vencendo batalhas que deixam marcas. "

amei esse texto, a passagem que transcrevo foi uma de muitas outras que me tocaram..!
Parabéns Diinho :)
Deveria começar a pensar em publicar um livro, se é que já não pensa!!!
Beijo e amo vc!
ah! R$50,00 hehhehe :)

11:19 PM  
Blogger Queen B. said...

muito bonita a forma que escreve!
=)~

5:33 PM  
Blogger Queen B. said...

acho que tu deves continuar a escrever!teu blog tem muito o que ensinar!^.^

3:22 PM  

Postar um comentário

<< Home